quinta-feira, 28 de julho de 2011

A FORMAÇÃO DO CARÁTER CRISTÃO NA EDUCAÇÃO INFANTIL


CENTRO DE FORMAÇÃO MINISTERIAL “SEMENTE DE VIDA”
CURSO: BACHAREL EM TEOLOGIA


 * Ednalva da Cruz Chagas
** Reginaldo Viana Chagas

 RESUMO

É de suma necessidade fazer uma abordagem sistemática sobre a educação infantil no contexto cristã e social, mostrando a importância do ensino cristã para a vida, bem como o investimento que precisa ser feito para proporcionar um trabalho de qualidade. Através do ensinamento cristão pode-se construir um futuro sólido para a Igreja, pois são através das redes e/ ou escolas bíblicas dominicais que os pequeninos são ensinados a terem fé e crer no Senhor Jesus. Nesse contexto observa-se que a criança na fase adulta só irar externar o aprendizado que teve de 0 a 6 anos, pois segundo a psicologia é nesse período que se forma a personalidade da criança. Muitas das dificuldades que temos são geradas na fase da infância por que não somos trabalhados nessa faixa etária. Por isso a Igreja não pode cruzar os braços, diante dessa situação devemos oferecer um ensino articulado, que motive para uma conquista de excelência destas crianças.
_______________
  * Bacharelando em Teologia pelo CFMSV, 2008.
** Policial Militar-PMMA, Bacharelando em Teologia pela CFMSV, 2008.

INTRODUÇÃO

A educação infantil cristã se consolidada pode contribuir de forma significante para a construção de uma sociedade ética e estruturada. Haja vista, que a mesma está sofrendo as conseqüências da inversão dos valores, e a Igreja por trabalhar os princípios bíblicos para formação do caráter cristão, facilita a compreensão por parte dos pequenos do que é certo e do que está errado. Nesse contexto, a Igreja tem uma grande responsabilidade, pois é o único órgão que ainda valoriza os princípios de Deus e por isso devem ser sensíveis as necessidades que surgem na sociedade, pois é deve ser um dos compromissos da igreja mostrar para a sociedade que o ensinamento de Jesus ainda é válido nos dias de hoje, quando colocado em prática fazem a diferença na vida das pessoas.
O presente artigo está dividido nas seguintes partes. A primeira parte aborda a Educação Infantil e a formação cristã, onde se buscou uma sistematização mesmo dentro da Igreja, na sociedade e na família, vindo seguidos do segundo parte que trata da Educação Infantil X Educação secular mostrando que devemos trabalhar as duas em conjunto. E por fim a terceira que fala da Educação Infantil cristão: Base para uma vida de fé. Nesse item procurou-se uma abordagem que enfatiza as faixas etárias, bem como as características que as crianças apresentam enfatizando também o papel do professor e a importância da evangelização. Nesse contexto buscou-se mostrar a importância da Educação Cristã para a formação do caráter cristão, bem como a contribuição que pode ser dada na formação dos novos Crentes da Igreja, pois as crianças de hoje serão os adultos.  

A EDUCAÇÃO INFANTIL E A FORMAÇÃO CRISTÃ.

A educação infantil é um assunto que vem sendo abordado com muita ênfase nos últimos anos por se tratar do início da vida educacional da criança, por ser a base da construção do caráter, sendo assim, os valores são aplicados com maior eficácia. Portanto, deve ser trabalhado com muita sinceridade e compromisso.
Por muito tempo a família foi o centro da educação dos filhos, que eram formados de acordo com a profissão dos pais. Com a modernização esses valores foram sumindo, os avanços da sociedade tiveram uma grande influência na educação atual, as mães deixaram seus afazeres do lar partiram para o mercado de trabalho com o propósito de viverem melhor e aumentar a renda familiar. As conseqüências chegaram mais cedo do que se esperava. As mudanças causaram bons impactos, as mulheres conquistaram seu espaço na sociedade através de sua profissionalização, porém perderam-se os valores mais primordiais, tais como: respeito, disciplina, amor ao próximo dentre outros.
Na nova estrutura familiar os filhos são criados somente por mães e avós ou só por pais. A família tradicional anteriormente conhecida perdeu o seu padrão de pai, mãe e filhos na sociedade globalizada. Os pais passam mais tempo no trabalho do que com seus filhos, entregando-os às babás, isso tem causado um caos, onde os mesmos não têm condições de oferecer aos filhos o que realmente interessa que é dar amor e carinho, pois a família é o berço da educação, tudo que seremos na idade adulta é construído no âmbito familiar. Nesse contexto a escola por sua vez passa ter um papel importante na educação dos pequenos, pois hoje se tornou responsável pela formação da criança em seu sentido mais amplo, no entanto sabe-se que a família está passando toda a sua responsabilidade para a escola no âmbito secular e à igreja que é o âmbito espiritual, o que não está correto, pois as mesmas são a somente uma continuidade da formação oferecida pela família.
Na educação cristã, o educador deve ser sensível às necessidades urgentes de seres tão frágeis que são bombardeados pelas influências da sociedade que declinou seus valores. A educação é um ato que se manifesta desde a formação do ser, no seu habitat. Com respaldo diz o Senhor à Moisés: “E estas palavras, que hoje te ordeno estarão no teu coração; E as ensinarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e deitando-te e levantando-te”.(Dt.6:6-7)
A criança de 0 a 6 anos é o período em que acontece a formação da personalidade, o desenvolvimento emocional, cognitivo e o crescimento sensório-motor da criança estão em ampliação e necessitarão de uma atenção maior por parte, tanto da família quanto da Igreja.

“Afirma que [...] educar é realizar a mais bela e complexa arte da inteligência. Educar é acreditar na vida, mesmo que derramemos lágrimas. Educar é ter esperança no futuro, mesmo que jovens nos decepcionem no presente. Educar é semear com sabedoria e colher com paciência. Educar é ser um garimpeiro que procura os tesouros do coração”.
(Cury, 2003; p 9)

Educar não se limita somente a ensinar, mas, amar expressando carinho, atenção e compreensão, é também estabelecer limites e corrigir, pois assim se constrói a formação ética e moral do indivíduo. É necessário estar atento às crianças da faixa etária inicial, pois segundo a psicologia os hábitos formam o caráter, os brinquedos acabam, mas o que fica é a palavra de Deus. A Bíblia nos afirma: Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele, (Pv. 22:6).

EDUCAÇÃO INFANTIL  X  EDUCAÇÃO SECULAR:

No âmbito evangélico a formação de valores cristãos vai além das limitações humanas, está ligado à ação do Espírito Santo na vida das crianças, fato que só será possível se a criança for estimulada a confiar em Deus. A moral e a ética formam parceria e até sobrepõem à formação cultural. A família e a igreja precisam estar em harmonia com os ensinamentos que são repassados aos pequenos logo no início de sua fé cristã, Tratando-se da educação infantil diz o sábio escritor de obras infantis que criou a paráfrase de (1Co. 13.11).
“Quando eu era menino, falava como menino, entendia como menino, quando me tornei um homem desisti dessas coisas infantis, mas o homem em que me transformei foi formado na meninice e essa formação permanece para sempre.”
(Wangerin Jr. 2008, p.14).

A igreja deve oferecer as crianças uma estrutura adequada para que possa haver aprendizado por parte das mesmas. O ambiente é de suma importância, segundo Ferreira (2000; 116) é preciso que atenda a determinados critérios tais como:
§                   O local de ensino deve ser confortável e atraente, possuir salas com uma boa circulação de ar e iluminação, lugares apropriados para sentarem;
§                   A quantidade de crianças também deve ser compatível ao tamanho do ambiente;
§                   A organização do ambiente deve favorecer ao tipo de trabalho que o líder vai realizar;
O educador cristão de forma alguma deve fugir da responsabilidade de prepará-los para viverem num mundo globalizado cuja ênfase é a busca por mais conhecimento, essa missão, que apesar de difícil, tem de ser integralmente cumprida, a fim de que eles destaquem-se como testemunhas do autor da fé para chegarem ao que consta nos Escritos Bíblicos: “Até que todos cheguem à unidade da fé, e ao conhecimento do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da estatura completa de Cristo”. (Ef 4: 13).
Na formação do caráter, os pequenos dependem da orientação fundamentada na bíblia sagrada e uma visão correta dos parâmetros escolares.  Após pesquisa acurada do sentido que seja caráter numa visão simples dada por Bentes (2008; p.74) “Modo de ser e agir de um individuo, firmeza de atitudes e que podem ser alterados e se constituem a partir das relações familiares, ambientais, pedagógicas e sociais e onde a psicologia melhor funciona é no lar”. O fruto do Espírito contribui abundantemente na formação do caráter da criança e se desenvolve de acordo com seu crescimento e varia conforme seu desenvolvimento físico, mental, social e espiritual. A partir daí cada criança cresce nesses quatros aspectos.  O evangelho de (Lucas 2:52)  Jesus crescia;
  • “Em estatura” (crescimento físico);
  • “Em sabedoria” (crescimento mental);
  • “Em graça diante dos homens” (crescimento social);
  • “Em graça diante de Deus” (crescimento espiritual);
.A disciplina não é um assunto de interesse exclusivo do educador. Os pais e familiares devem contribuir para a sua aplicação. Pois a mesma serve para preparar a criança, enfrentar problemas em relação ao pecado e a própria vida social, na qual todas as atividades são hierarquizadas, e onde sem disciplina só existe confusão, tumulto e anarquia. A criança torna-se educada à medida que é disciplinada pelo adulto. Segundo (Ferreira, 2000; p115) a aplicação da disciplina:
§           Promove a formação equilibrada de uma criança saudável, pois ela é tanto intelectual quanto social;
§           Prepara uma criança capaz de aperfeiçoar-se;
§           Forma uma criança de caráter.
§            Favorece o surgimento de crianças conscientes, capazes de se integrarem à vida social sem problemas;

EDUCAÇÃO INFANTIL CRISTÃO: BASE PARA UMA VIDA DE FÉ.
O Desenvolvimento da fé nas crianças inicia-se dentro do lar e se consolida na igreja, através das programações e atividades especialmente feitas para elas, através das redes e escolas dominicais. No entanto para que tudo isso ocorra é necessário que tenhamos conhecimentos das faixas etárias, bem como o que acontece dentro de cada uma delas. Segundo a autora Bentes (2008; p. 74) a criança passa várias faixas etárias das quais podemos citar:
·          De 1 a 3 anos – Nessa fase a criança aprende através de encenações de histórias Bíblicas.
·          De 3 a 4 anos – É a fase dos relacionamentos significantes (Professores, Pastores e Família), interessam-se por Deus.
·          De 5 a 6 anos – Compreendem o conceito de Deus como “O Criador”.
·          De 7 a 8 anos – Estabelecem conceitos de certo e errado.
·          De 9 a 11 anos – Correspondem ao ensino sobre o caráter de Deus.
·          De 12 anos – Precisam de apoio constante e orientação espiritual profunda.
De posse dessas informações podem-se planejar cultos e atividades atrativas que prendam a atenção dos mesmos em relação à palavra. Pois toda criança gosta de ir à igreja principalmente quando esta lhe proporciona um ambiente agradável, e são tratadas com amor. Se não houver interesse elas também percebem, por isso existe a necessidade de tratá-las bem e ensiná-las o caminho que devem andar.
O papel do professor nesse contexto é planejar, organizar atividades e elaborar um cronograma que viabilize sua prática pedagógica, pois é de competência do mesmo criar estratégias que estimule a criatividade dos seus alunos. É preciso discipular a criança com valores centrados nos ensinos de Jesus (Mt. 28.19-20a), pois em seu ministério sempre enfatizou as crianças como exemplo para os adultos.
A evangelização de crianças deve ser uma prioridade em casa e na igreja. Jesus usou as crianças como ilustração de fé e lealdade a muitos e de humildade (Colocando-se sob a autoridade de Deus), requisito importante para quem fizer parte do Seu Reino. Mesmo que Deus tenha habilitado algumas pessoas para o ensino dos infantes, todos nós temos a responsabilidade de educá-los nos seus princípios, Jesus, porém, disse: “Deixai os meninos, e não os estorveis de vir a mim; porque dos tais é o reino dos céus”. (Mt. 19: 14) e não há referências nos textos Bíblicas sugestões que, crianças são incapazes de responder a Deus, de louvá-lo, adora-lo, crer ou dar graças por tudo, de fato Jesus enfatiza que vindo ao Pai às crianças não devem agir como adultos, mas pelo contrário, os adultos e que devem tornar se como crianças.
A criança que, desde sua infância é educado nos princípios Bíblicos terá maior possibilidade de ser um adulto com maturidade, cristão apaixonado por Deus, comprometido com Ele, que não se deixa confundir e ser levado por qualquer “vento de doutrina”. A criança possui um enorme potencial evangelístico, se bem instruído será um instrumento eficaz, tanto na evangelização de crianças quanto de adultos. Por isso deve o educador e a família cultivar os bons hábitos nas crianças, semear em seus corações o amor e a palavra de Deus, usando métodos adequados à sua faixa etária para que eles venham a amar a Deus e servi-lo. Há que se cultivar essa semente preciosa para se colher bons frutos. Deve-se com muita responsabilidade, desenvolver a base da fé na criança, pois é o alicerce da igreja forte.

CONCLUSÃO
As crianças são alvos de todo tipo de investimento que vai desde a construção de brinquedos com imagem de deuses pagãos até a veiculação das suas ideologias. Diante dessa situação não podemos nos calar nem ao menos deixar de investir na educação dos pequenos, pois eles são responsabilidades dos pais para a educação inicial e da Igreja na consolidação dos conhecimentos oferecidos pela família fundamentada na palavra de Deus.
Mediante a situação analisada, assimilar facilmente uma cultura e jamais esquecer as experiências fortes ocorridas na infância faz parte da natureza do ser humano. Por isso, a geração eleita mediante o sangue de Cristo, deve se empenhar para educar crianças dentro dos princípios divinos. Assim, quando a criança tornar-se adulta, terá menos dificuldades de caminhar na estrada da fé. Portanto, a infância, a fase em que se estrutura a personalidade, os pais e igreja devem utilizar todos os meios e recursos possíveis para que a criança desenvolva uma formação cristã de caráter adequado aos padrões divinos. “Os filhos não precisam de pais gigantes, mas de seres humanos que falem a sua linguagem e sejam capazes de penetrar-lhes o coração” (Cury, 2003).  

BIBLIOGRAFIA

ALMEIDA, João Ferreira de. Bíblia da Mulher, Barueri-SP. SBB - Mundo Cristão. 2003.

BENTES. Joane, Seminário de Escola Bíblica Dominical, Bacabal – Ma. CPAD. 2008.

CURY, Augusto. Filhos Brilhantes, Alunos Fascinantes, Colinas - SP, Academia de Inteligência. 2006.

FERREIRA, Débora costa da. Evangelização e discipulado infantil, Rio de Janeiro – RJ. CPAD, 2003.

FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Mini-dicionário da língua portuguesa. Nova Fronteira. Rio de Janeiro - RJ. 2000

SILVA, Antônio Gilberto da. Manual de Escola Dominical, Rio de Janeiro-RJ. 1998.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário